No Brasil, o destino social de crianças e de jovens pobres oscila entre as dimensões da proteção e dos direitos, por um lado, e da punição e do controle social, por outro. Durante grande parte do século XX, as legislações voltadas para os assim chamados menores equacionaram as respostas institucionais em torno da alternativa “trabalho precoce” ou “criminalidade precoce”.

Este trabalho tem o objetivo de traçar a rede dos grupos políticos engajados durante o ciclo de protesto de 2013 a 2016. O problema a ser investigado consiste na identificação de padrões relacionais entre partidos políticos e movimentos sociais presentes nos episódios de confronto coletivo durante junho de 2013 às manifestações pró e contra o impeachment em 2016.